July 15, 2018

Please reload

Posts Recentes

Divisão Intermediária de 1978

April 27, 2020

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Fada FC, um time de muitas histórias

September 9, 2017

Diferentemente de muitas equipes tradicionais da região, que não tem a sua história registrada. Falar do time anastaciano foi muito fácil.

 

 

A cidade de Santo Anastácio, onde tudo começou

 

O Fada Futebol Clube nasceu no dia 10 de maio de 1940. A primeira diretoria era composta de Ernesto Moreira de Almeida Júnior, Alcides Chacon Couto, Paulo Pinheiro Ramires, José Machado, José Peral, Francisco Martins Fernandes, Manoel Ozores, Paulo de Oliveira, Rubens Rocha, Nicodemos Albuquerque, Nelson Alves Lima, Mário Rocha, Idenor Rocha, Moacyr Fleury, Antônio Peral, Horacio Alves Lima, José Bravo, Harry Widmann, Manoel Caparrós, Ângelo Bonilha, Wilibaldo Anés, Aldo Rocha, Domingos Oléa, Francisco Peres Alcalá, Benedito Barbosa, Francisco Scorza, Barnabé Garcia e Nelson Carvalho Novaes.

 

Inicialmente a sigla FADA significava "Federação Anastaciana de Desportos Atléticos", mas ao efetuarem o registro do referido time na Federação Paulista de Futebol, entidade máxima do futebol paulista, não foi aceito pela própria organização, pois não poderia existir outra "Federação", por isso, a agremiação foi registrada como "Fada Futebol Clube".

 

O primeiro campeonato conquistado pelo Fada foi em 1945, quando venceu o Campeonato Amador Regional, onde na inesquecível final, realizada no antigo Estádio Municipal da Vila Lunardi em Santo Anastácio, derrotou o time da Associação Atlética Venceslauense por 7 a 1. Na ocasião, o time básico era formado por Cetale, Nelsinho e Professor; Zito, Ferrinho e Dirceu; Joãozinho, Horácio, Cota, Victor e Manelito Ozores; além de Joaquim, Nicodemos, Dirceu, entre outros.

 

Em 1946 o Fada conquistou o bi-campeonato do Campeonato Amador Regional, ao empatar com o Palmeiras em Presidente Prudente. O resultado do jogo foi 2 a 2. O time base era formado por Nestor, Nelsinho e Professor; Zito, Moacir e Coveiro; Joãosinho, Horário, Mário Rocha, Vitor e Manelito.

(Foto: Time do Fada FC de 1947)

 

Quatro anos depois o Fada conquista o troféu do Campeonato Amador Regional pela terceira vez. A final foi realizada em Santo Anastácio, tendo enfrentado na final do XV de Novembro, outra equipe anastaciana. O derbi foi realizado no Estádio da Vila Lunardi com a vitória do Fada por 3 a 1. Os jogadores eram os seguintes: Olavo Ayres, Ditão e Endo; Zito, Duca e Bigota; Guimarães, Bagunça, Corote, Vitor e Isnardi. Tendo ainda Mário Rocha, Joaquim, Paschoal, Horácio, Nelsinho, Leonildo Aneas e outros.

 

Ainda em 1950 conseguiu sua melhor classificação no Campeonato Amador do Interior do Estado, patrocinado pela Federação Paulista de Futebol alcançou o quarto lugar no interior. Este campeonato foi importante porque naquela época o futebol profissional do Estado contava com poucas agremiações e assim sendo, este campeonato era disputado por grandes equipes. O campeonato era disputado por regiões através de sistema eliminatório, sendo que naquele ano, sobraram após várias eliminatórias, oito equipes, que foram divididas em dois grupos de quatro, classificando-se as duas primeiras para a grande final.

 

Na Alta Sorocabana o Fada foi campeão absoluto, pois conseguiu triunfar sobre o Candidomotense, de Cândido Mota, e o Ourinhense, de Ourinhos. Em seguida disputou contra o América (Ibitinga), o Pirajuí Futebol Clube (Pirajuí) e o Saltense (Salto Grande). Sua eliminação deu-se contra o quadro do América de Ibitinga, que naquele ano foi não só o campeão amador do interior como também do Estado.

 

No ano de 1952 sagrou-se Campeão Amador Regional. Nesse ano, o Fada tinha a seguinte diretoria: Dr. Francisco Sanchez Postigo, Mário Rocha, José Jordão Magro, José Martins Lopes, Antônio Tunes, Olavo Ayres de Lima e outros. O seu time tinha os seguintes jogadores: Nelson, Tunes, Duca, Maurício, Furlan, Zito, Hilton, Tiriça, Devá, Trajano, Carlos, Edmar, Mário, Dito, Diogo e outros.

 

Pela dedicação e empenho demonstrado pelo Fada, não devem ser esquecidos como colaboradores e incentivadores, o Dr. Sebastião Ribeiro do Amaral (presidente de 1945 a 1947) e o Dr. Mário Soares, do Conselho Deliberativo.

(Estadio Municipal de Santo Anastácio: José Spaus da Silva - Foto: Sonia Gomes)

 

Dos campeonatos amadores que o Fada disputou participaram diversos times tradicionais da região como a Associação Atlética Venceslauense (Presidente Venceslau); XV de Novembro, União Ferroviária Anastaciana (UFA) e Grêmio Esportivo Casemiro de Abreu (Santo Anastácio); Associação Atlética Bernardense (Presidente Bernardes); Paulista Futebol Clube (Álvares Machado); Palmeiras, Corinthians e Prudentina (Presidente Prudente); Regente Feijó Esporte Clube (Regente Feijó); Martinópolis Futebol Clube e AMEA (Martinópolis).

 

As principais conquistas do Fada foram a terceira colocação no Campeonato Amador Regional e sexto colocado no Campeonato Amador do Interior em 1954; terceiro lugar na 3ª Divisão de Profissionais em 1955; terceiro colocado no Campeonato Amador Regional e Campeão Municipal em 1956 e 1958; Vice-campeão da categoria juvenil em 1962; Vice-campeão Regional e Campeão da série D em 1965; e Campeão Amador Regional em 1966.

 

No decorrer do mês de julho de 1957, a classificação final do Campeonato Amador do Setor 47 apresentou o Fada em primeiro lugar, tendo ficado assim a classificação final: Fada (campeã) (4pp), Bernardense (8 pp), Pirapozinho (9 pp), UFA (15 pp), Flamengo (19 pp) e Corintians (20 pp). Naquela época a pontuação era contada por pontos perdidos.

 

Em 1965, Santo Anastácio pertencia a liga de Presidente Prudente, que abrangia de Rancharia a Presidente Epitácio. As equipes eram divididas em quatro divisões denominadas A, B, C e D. Neste ano o Fada conquistou o Campeonato Regional, cuja equipe era formada pelos seguintes jogadores: Sérgio , Cesário, Duca, Carvelli, Massena, Sardinha, Chiquinho, Dijanil, Rubinho, Silvio, Hildebrando, entre outros.

 

O ano de 1966 foi praticamente sua última campanha como time, tendo naquele ano sagrado campeão da região, quando contava com a seguinte diretoria: Júlio Ricci (presidente), José Corsaletti (1º vice-presidente), Jaime Rodrigues de Araújo (2º Vice-Presidente), Antônio Carvelli Sobrinho (1º Secretário), Jairo Vilar Moraes (2º Secretário), José Paulo Fernandes (1º Tesoureiro), Jurandir Francisco Pinheiro Ramires (2º Tesoureiro), Barnabé Garcia e Francisco Rodrigues de Araújo Neto (departamento de futebol). Existindo ainda um conselho que era formado por 15 pessoas.

 

Destacaram-se como treinadores do Fada Jaguaré (ex-integrante do Vasco da Gama do Rio de Janeiro e da Seleção Brasileira de Futebol), Cetale, José Peral, Antônio Peral Espinosa, Fernando Fernandes, Henrique Alberto Amirantes, Aleixo (ex-integrante do Corinthians Paulista) e Mário Rocha. Didi Frutuoso foi o massagista que por mais tempo esteve junto a equipe.

 

Em 1966, o clube, motivo de inúmeras alegrias e glórias para os anastacianos, foi extinto. O Fada teve três sedes sociais, a primeira situada na Avenida José Bonifácio (entre as ruas Dr. Costa Manso e João Batista Mendes), a segunda localizada à Rua Osvaldo Cruz (esquina com Rua Dr. Costa Manso) e a terceira à Rua Barão do Rio Branco (entre a Avenida Pedro II e Rua Dr. Costa Manso) quase em frente a Travessa Francisco Bravo.

 

Após 12 anos desativado, o Fada Futebol Clube tentou retomar a trajetória futebolista. Em 1978, o clube disputou o Campeonato Paulista da Quinta Divisão, (denominada terceira divisão) que contou com a participação de 34 clubes.

 

Obs: Como controvérsia, no Almanaque do Futebol Paulista do Rodolfo e do Farah, consta com a participação do São Paulo FC de Sto Anastácio.

 

AA Itajobi (Itajobi)

AA Macêdo (Guarulhos)

AA Ranchariense (Rancharia)

AA Riopedrense (Rio das Pedras)

AA Saltense (Salto)

AA XI de Agosto (Tatuí)

Bandeirante EC (Birigui)

Bariri EC (Bariri)

Botafogo FC (Monte Alto)

Brasil FC (Buritama)

C Atlético Mogiano (Mogi-Mirim)

CA Bragantino (Bragança Paulista)

Comercial FC (Tietê)

Cruzeiro FC (Cruzeiro)

Dracena FC (Dracena)

EC Corintians (Casa Branca)

EC Monte-Mor (Monte-Mor)

EC Municipal (Paraguaçu Paulista)

EC Sumaré (Sumaré)

EC União Barra Funda (Ourinhos)

EC XV de Novembro (Indaiatuba)

Fada FC (Santo Anastácio)

Ferroviário A Ituano (Itu)

Guarani Saltense AC (Salto)

José Bonifácio EC (José Bonifácio)

Juventus EC (Guariba)

Mirandópolis EC (Mirandópolis)

Mogi-Mirim EC (Mogi-Mirim)

Palmital AC (Palmital)

Paulista FC (Nhandeara)

Pirajuí AC (Pirajuí)

U Funilense E (Cosmópolis)

União Possense FC (Santo Antônio de Posse)

VOCEM (Assis)

                                                                                   

                                                                                                                                                 

                                                                                                                                                                                                                                                                                                         

O hino de time de futebol mais bonito, dizem os músicos, é o do Amércia do Rio de Janeiro, composto por Lamartine Babo, tio de Oswaldo Sargentelli. Aliás, ele fez os hinos do Fluminense, do Vasco, do Botafogo, do Flamengo, do Madureira, do Bonsucesso, do Olaria e do São Cristovão. O do América gravado por Tim Maia ficou espetacular. 

Um hino muito bonito também era o do Fada Futebol Clube, de Santo Anastácio, composto pelo tio da Dulcinéia Novaes, repórter da Rede Paranaense de Televisão. E eu era do outro time da cidade, o XV de Novembro, onde o londrinense Alcides Gonini jogou e foi um centro-médio muito bom. 

 

(Oswaldo Militão, repórter do jornal Folha de Londrina desde 1956, onde está até hoje, porque os tempos do colunismo sobre pessoas e empresas mudaram e permitem que este trabalho seja feito).

Times de futebol profissional de Presidente Prudente e Região

 

Segundo o Almanaque do Futebol Paulista, que é uma publicação da Federação Paulista de Futebol (FPF), a região do Oeste Paulista já teve 36 equipes profissionais, conforme a lista abaixo:

 

*Adamantina - Associação Atlética Adamantina, Guarani Futebol Clube (conseguiu dois acessos), Adamantina Futebol Clube, Sociedade Esportiva Palmeiras e Clube Atlético Internacional
*Dracena - Dracena Futebol Clube (dois acessos) e Círculo Operário de Dracena
*Flórida Paulista - Flórida Esporte Clube
*Irapuru - Associação Atlética Irapuru
*Junqueirópolis - Junqueirópolis Futebol Clube
*Martinópolis - Clube Atlético Martinópolis
*Monte Castelo - Associação Atlética Monte Castelo
*Osvaldo Cruz - Associação Atlética Oswaldo Cruz (dois acessos), Sociedade Esportiva Palmeiras, Grêmio Esportivo Oswaldo Cruz, Associação Esportiva

Osvaldo Cruz e Osvaldo Cruz Futebol Clube (quatro acessos)
*Pacaembu - Pacaembu Esporte Clube

*Presidente Epitácio - Beira Rio Esporte Clube (um acesso) e Associação Atlética Epitaciana
*Presidente Prudente - Associação Prudentina de Esportes Atléticos (dois acessos), Esporte Clube Corinthians de Presidente Prudente (dois acessos), Presidente Prudente Esporte Clube, Presidente Prudente Futebol Clube, Prudentino Futebol Clube, Oeste Paulista Esporte Clube (um acesso), Grêmio Barueri e Grêmio Prudente
*Presidente Venceslau - Associação Atlética Venceslauense e Esporte Clube Corinthians (um acesso)
*Rancharia - Associação Atlética Ranchariense (um acesso)
*Regente Feijó - Esporte Clube Regente Feijó
*Santo Anastácio - Fada Futebol Clube, União Ferroviária Anastaciana e São Paulo Futebol Clube

*Tupi Paulista - Tupi Esporte Clube

Brasão

 

Hino

Um pouco da cidade de Santo Anástacio-SP

Alguns profissionais de imprensa nascidos em Santo Anastácio-SP